Câmara de Paranaguá levou 12 anos iniciando a sessão às 19 horas

Bons tempos das sessões no Palácio Visconde de Nácar, sempre às 19 horas. Foto:IHGP

“Legislar em causa própria”. Eis uma frase que tem tudo a ver com o sistema político em nosso país, algo comum nas casas legislativas de todas as esferas. O que é vergonhoso.

Posso estar enganado, mas penso que nas Câmara Municipais isso ocorre com mais frequência, descaramento e maquiado de legalidade, por aqueles que assim agem.

Abro desta forma este conteúdo para falar da polêmica, sobre a definição do horário de início das sessões no Palácio Carijó que gastou mais de uma hora de debate, incluindo as vistas.

Fiquei surpreso por vários fatores e discursos, alguns de dinossauros do Legislativo que já deveriam estar extintos, mas sobrevivem pelo excesso de “gordura” despejado nas eleições.

Começo minha perplexidade pelos argumentos de alguns que derrubaram o Pedido de Vistas do Thiago Kutz, como Waldir Leite, dando entender não ser uma demanda relevante, a iniciativa de estender o debate para todos os 19 edis.

Para ele, assuntos mais pertinentes e importantes não tiveram por parte do líder da bancada de situação o mesmo empenho para proporcionar estudo do que seria votado.

Ora, antes tarde do que nunca.

Até porque todo e qualquer assunto legislativo é pertinente, é importante e merece oportunidade de maior discussão. Não se dar conta disto depois de tantos anos, não se aprendeu nada.

Interessante neste caso, que novatos como Diniz, Vandecy e Maré deram uma aula postura, democracia e parlamento, entendendo sim que o assunto merecia o debate amplo.

Outro novato, Luizinho Maranhão foi muito feliz e deu um banho nos “experientes”, questionando o sistema equivocado de sessões consecutivas, quando sempre foi alternada.

REFRESCANDO A MEMÓRIA

Quando disse das muitas das surpresas que ocorreram, quero destacar que o novato Maré foi cirúrgico ao destacar que, se os vereadores pensassem no povo, a sessão seria às 19 horas.

Não sei se ele se ateve a história da nossa Câmara, que abriu suas sessões, as terças e quintas, às 19 horas por longos 12 anos, a partir do Regimento Interno da Resolução 243/1991, desde a boa época do Palácio Visconde de Nácar.

Ou seja, ele defendeu muito bem sua posição.

Isso só mudou com a Resolução 441/2018 quando “inventaram moda” e reduziram o horário para às 17 horas. O que mudou menos de 3 anos depois com a Resolução 493/2021, por conta das eleições, ou seja, causa própria.

Algo que segue ocorrendo, quando é do interesse dos edis.

Agora a sessão vai começar, de direito, às 17;30 horas, já que de fato, é o que horário que vem começando neste ano.

Legalizaram o “seis por meia dúzia”.

Posso adiantar aqui, sem nenhum medo de errar, que o horário mudará novamente nas eleições de 2022 e 2024.

TIME QUE ESTÁ GANHANDO

Já que ontem, para criar uma gracinha usando toda uma estrutura pública paga com nosso dinheiro, se comparou os trabalhos ao um jogo de futebol, entro neste embalo parar lembro que “não se mexe em time que está ganhando”.

Dito isso, as sessões deveriam retomar o padrão que se praticou por mais de uma década, em dias alternados e sempre a partir das 19 horas.

Mas esta decisão cabe aos 19 nobres vereadores.

Receba notícias em seu email

Assine nossa newsletter

Obrigado por se cadastrar

Ops. Algo deu errado...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: