Manifestação dos Ensacadores não reuniu 2% da categoria no sábado

Foto mostra que o protesto não teve 30 de quase 1.7 mil sindicalizados com Galo

Recentemente destaquei o gesto de nobreza do presidente Lindonei Santos ao se desculpar com toda a população de Antonina, por comentários feitos a uma minoria de associados capelistas que atuam no porto da Ponta do Felix.

Pensei que a retratação pública divulgada no principal jornal e de maior credibilidade na região, o JB Litoral e repercutida nos principais veículos de comunicação da cidade, como a TVCI também, fosse o suficiente para mostrar o seu arrependimento pelo erro e a polêmica que, se não esquecida, ao menos encerrada.

Afinal, o que mais Lindonei poderia fazer? Se matar?

Mas a tentativa de manifestação de uma minoria, e bota minoria nisso, diante da TVCI, do próprio sindicato no sábado (12), foi algo que já passou da conta.

Até porque, um dos líderes que lá estiveram, o ex-secretário da diretoria, Heberton, também fez comentários com o mesmo teor do presidente aos trabalhadores antoninenses.

Posso dizer, porque já havia recebido os áudios, antes mesmo de fazer a defesa, não do presidente e vereador, mas do companheiro que conheço há anos e aprendi respeitar.

Nem entrei nesta questão para evitar de trazer à tona, o que penso que foi feito com a tal “manifestação”; oportunismo e manipulação da categoria por política sindical e partidária.

Mas ao visitar uma amiga e me deparar com o ato no sábado, fiquei indignado com a iniciativa de colocar inocentes trabalhadores trabalhadoras numa furada.

Não tinha 30 associados

 

Observando e, como jornalista, registrei para falar com propriedade o que posto e contei pouco mais de 20 pessoas, divididos entre trabalhadores e trabalhadoras.

Para quem viu até faixa e cartaz e imaginou que aquilo teve representatividade, sabe qual o contingente de associados no Sindicato dos Ensacadores?

Pelo que levantei são 1.350 homens e 340 mulheres, quase 1.7 mil no seu total, o que significa que o “protesto” não reuniu 2% de toda categoria.

Na foto com o deputado Galo, tinham 8 mulheres e 15 homens, um total de 23 pessoas. Cadê a representatividade?

Um dos cartazes dizia “Juntos somos mais fortes”, mas que fortaleza é essa para se reivindicar qualquer demanda?

Outro era mais estranho ainda trazia “Tomando de volta o que é nosso”, mas tomando o quê?

Afinal, Lindonei foi reeleito com 62% do total de votos válidos em 2018, gestão aprovada pela maioria da categoria.

Soube que o ex-secretário que foi tirado da diretoria e estava na manifestação deve abrir chapa para próxima disputa no sindicato, o que explica muito desta manipulação da categoria.

É bom que se diga, antes do sábado, na mesma semana a diretoria homenageou e presenteou as mulheres do sindicato pela passagem do Dia Internacional da Mulher e, uma delas, que até falou no programa do Galo esteve presente.

Tem coisa mais suspeita que isso?

 

Deputado Galo mandou bem

Deputado Galo trouxe em seu programa na TVCI, a informação do pedido de desculpas aos capelistas e associados – Foto – reprodução – Redes sociais

Para encerrar este assunto, que não é nenhuma defesa e sim a constatação de um fato que a imprensa no Brasil é vítima constantemente e, em nossa cidade, não é diferente, de quererem nos fazer de massa de manobra.

Ou seja, trazem uma demanda dizendo ser por um interesse comum ou comunitário, quando na verdade, nada mais é que a manipulação das pessoas usando a imprensa para dar publicidade.

Nem sempre consegue, mas não foi diferente desta vez, porém, o deputado Galo, profissional de comunicação com larga experiência e credibilidade, a ponto de conquistar uma cadeira deputado, não caiu nesta furada.

Ele ouviu os trabalhadores como deveria, abriu o microfone para suas reclamações e demandas, mas não fez juízo de valor e nem opinou sobre o caso.

Fez mais ainda, abriu espaço para Lindonei se manifestar e destacou o que eu também já estaquei na semana passada, o fato do presidente se retratar publicamente, ou seja, admitir o erro e pedir desculpas.

Só não concordo com a ideia de Galo dele abrir assembleia ou reunião, pois com menos de 2% no protesto, não representou praticamente nada a categoria.

Posso até estar errado, mas não acho nem um pouco necessário e legítimo.

Espero que essa tal polêmica não se estenda até às eleições sindicais dos Ensacadores que está próxima.

Essa é minha opinião.

 

Receba notícias em seu email

Assine nossa newsletter

Obrigado por se cadastrar

Ops. Algo deu errado...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: